PSICOTERAPIA DE ADULTOS 

A psicoterapia individual para adultos é um processo de autoconhecimento e tratamento empregado para mitigar o sofrimento psíquico e emocional. As causas mais comuns de sofrimento são as doenças físicas, problemas financeiros, distúrbios sexuais, separação conjugal, dificuldades de relacionamento familiar, trabalho fatigante, desemprego, luto, rupturas afetivas, desmotivação, violência familiar. Em todos esses casos, a psicoterapia de adulto é indicada.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE PSICÓLOGO E PSICOTERAPEUTA?

O psicoterapeuta é um psicólogo que fez formação clínica, tendo prática de atendimento clínico individual ou em grupo, treinamento como psicólogo clínico, orientação clínica, e se submete a um procedimento de psicoterapia ele próprio. 

psicólogo pode ainda trabalhar com Recursos Humanos, escolas na orientação de pais, na clínica financeira individual e familiar, como mediador de conflitos, como psicólogo hospitalar atendendo familiares de pacientes crônicos terminais e enlutados. O psicoterapeuta pode atuar em consultório, na clínica hospitalar, social, escolar, ou do trabalho e em Centros de Saúde Mental.  O psicólogo emprega técnicas científicas que têm eficiência comprovada e deve estar cadastrado no órgão fiscalizador: Conselho de Classe Profissional da Região.

A PSICOTERAPIA É UM MOMENTO DE DESABAFO?

O paciente pode sempre desabafar, com seu psicoterapeuta, mas o que diferencia a escuta do psicoterapeuta da escuta de um amigo é a técnica que é utilizada para interpretar as colocações que o paciente manifesta. A grande importância da psicoterapia é a intervenção do psicólogo, com a finalidade de compreender o relato trazido pelo paciente, a partir de uma referência teórica que o ajuda a a fazer o diagnóstico preciso e propor um tratamento apropriado. Durante as sessões, o paciente tem a sensação de ter trabalhado conceitos doloridos da sua história e pode entristecer-se, chorar, ficar alegre e animado pela vida, motivado, desanimado. Muitas emoções podem acometer o paciente durante a psicoterapia. Todas essas emoções fazem parte do processo e cabe ao profissional trabalhar cada uma delas a seu tempo. O foco da psicoterapia é o desenvolvimento pessoal.

QUANDO PROCURAR UM PSICÓLOGO?

O momento ideal para procurar a psicoterapia, quase sempre coincide com alguma crise, com momentos de desespero, tristeza ou indecisão. Outra vezes, estamos diante de uma ruptura emocional que provoca grande sofrimento ou fazemos atos nocivos contra nós mesmos. O momento ideal para a psicoterapia é aquele no qual percebemos que pode haver prejuízos em alguma área da vida e que isso não pode ser desconsiderado. Quando estamos abertos a receber ajuda e desejamos realmente uma mudança, seremos capazes de abordar os problemas e falar das dificuldades e o trabalho do psicoterapeuta será realizado com eficiência.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE PSICÓLOGO, PSIQUIATRA E PSICANALISTA?

O Psicólogo é o profissional que aplica técnicas científicas de eficiência comprovada e academicamente reconhecida para o tratamento que envolve emoções, pensamento e comportamento. O psicólogo pode atuar com diversas abordagens clínicas. O psicanalista, não tem habilitação legal para atuar com psicoterapia, pode atuar como terapeuta em atendimento psicanalítico, caso não tiver o diploma de graduação em psicologia.  O psiquiatra é um médico habilitado em medicina com registro no Conselho de Classe, que segue a doutrina da psicopatologia médica ou da psicopatologia fenomenológica. O psiquiatra está habilitado a prescrever medicações e seu trabalho ocorre conjugado ao do Psicólogo. A prática do Psicólogo é focada na escuta clínica e a do Psiquiatra no diagnóstico e na medicação.

QUAL A MELHOR ABORDAGEM DE PSICOTERAPIA?

Todas as abordagens psicoterapêuticas são úteis e importantes. Cada abordagem representa um olhar sobre o ser humano e uma forma de utilizar a técnica da psicologia para obter os resultados desejados. Tudo depende do caso e da necessidade da urgência da mudança, para se obter a melhoria do paciente. Alguns tipos de transtornos se resolvem melhor com uma abordagem, outros tipos de sofrimentos se resolvem melhor com outra. Não existe a melhor, e outra pior, são técnicas que visam o bem-estar e que podem trazer melhorias se o psicólogo for bem formado e tiver estudado diversos casos clínicos.

COMO ESCOLHER A ABORDAGEM DE PSICOTERAPIA?

As abordagens podem ser escolhidas pela própria pessoa que busca o tratamento, ou o profissional pode indicar o tratamento mais eficaz em cada caso. Você sempre terá a oportunidade de ver vários profissionais antes de escolher aquele que melhor lhe inspire confiança, ou para conhecer outra abordagem que lhe agrade mais. 

O importante é não se fixar tanto na abordagem, mas tentar perceber se o profissional faz uma boa escuta, é responsivo ao seu caso, é respeitável, apresenta o devido diploma e habilitação do Conselho Regional de Psicologia, e no caso de precisar de Reembolso, se apresenta inscrição no Cadastro de Contribuinte Mobiliário (CCM), e se for uma clínica, verifique se sofreu vistoria da vigilância Sanitária.

EXEMPLOS DE DEMANDAS PARA A PSICOTERAPIA?

Depressão, tristeza e apatia. Falta de motivação, dificuldades em relacionamentos, Distúrbios Sexuais. Divórcio, separação, definição de Guarda de Filhos. Conflitos Financeiros e dificuldades de planejar e tomar Decisões. Fobia Social e dificuldade de manter laços afetivos. Depressão Pós-Parto. Autossatisfação, crescimento pessoal. Autoestima baixa. Compulsão Alimentar. Controle do Humor. Ansiedade e angústia frequente. Pânico, nervosismo e irritabilidade. Medos ou Fobia. Mal-estar, tremedeira, tontura, sensação de desmaio, gagueira, febre e enurese noturna e diurna sem causa clínica.  Superar a timidez. Abuso sexual, físico ou financeiro. Ciúme patológico. Intolerância às dificuldades dos outros. Pensamentos invasivos, repetitivos, angustiantes ou mórbidos, pensamento em morte e suicídio, Desejo de machucar-se. Sentimento de estar sendo perseguido, Doenças Psicossomáticas como Psoríase e Vitiligo. Dependência tecnológica, dependência de Jogos. Perda de pessoas próximas, luto prolongado. Dificuldades relacionais no trabalho, Mobbing, Bullying e Assédio Moral. Violência doméstica. Distração excessiva, dificuldade de Memória, dificuldades alimentares diversas. Tristeza e desmotivação, descrença no futuro, angústia e ansiedade sem causa aparente.